Críticas

StarCraft II: Legacy of the Void

14.Dez.2015 17:32

A Blizzard fecha o ciclo da trilogia Starcraft 2 com um capítulo totalmente focado na raça Protoss.

No jogo anterior, cada nova unidade do exército era introduzida ao longo da campanha através de uma missão especial, apresentando duas variações da mesma para o jogador escolher. No novo jogo, as unidades são introduzidas nas missões da campanha, ficando disponíveis nas seguintes. A qualquer momento é possível alternar entre as duas variações, cujos ataques e habilidades são tão distintos que parecem unidades distintas – e mais tarde, uma terceira coluna alternativa é desbloqueada, conferindo um leque impressionante de opções.

Vertente multijogador

A campanha prolonga-se por mais de uma dezena de horas, mediante a dificuldade que escolherem e a vossa experiência no género. No entanto, esta é apenas uma parte da experiência, já que é na vertente multijogador online que muitos fãs se focam. Não houve uma grande revolução na vertente competitiva, mas todas as unidades foram revistas. Cada fação recebeu duas novas unidades e os Zerg também um edifício.

Uma das novidades da componente competitiva são os torneios automáticos abertos a todos os jogadores. Estes funcionam numa base diária, mais ou menos de duas em duas horas, num sistema de eliminação para oito jogadores; ao fim de semana existem torneios de 16 jogadores, divididos em quatro grupos. O interessante é que o sistema de emparelhamento agrupa os jogadores mediante a sua experiência, encontrando adversários semelhantes; e uma vez que se inscrevam num torneio, podem ir jogar a campanha ou outro modo, que serão depois convocados quando este começa. A participação nos torneios confere experiência e claro, mexidas nas tabelas de rankings.

Existem ainda dois modos cooperativos introduzidos em Legacy of the Void. O modo Archon permite que dois jogadores controlem uma mesma base, disputando o mapa contra uma outra equipa de dois elementos. Se forem bem organizados, um jogador pode tratar de tarefas como o desenvolvimento da base e recolha de recursos, enquanto o outro trata de construir as unidades, por exemplo. Este modo tem tanto de divertido, como de frustrante, se um dos jogadores não souber o que está a fazer ou se não houver comunicação entre ambos.

O modo Co-Op normal, permite aos jogadores escolher um dos seis heróis da série e completar objetivos dos mapas juntamente com amigos, cada um com a sua base. Cada herói tem o seu leque de habilidades especiais e ganha experiência ao longo das missões, adquirindo novas opções.

Embora não seja perfeito, Legacy of the Void tem todos os elementos necessários para agradar aos jogadores, tanto os que preferem uma boa campanha a solo (ainda que não seja a nossa favorita), bem como diversas opções para a componente multijogador, competitiva ou cooperativa. E se este conteúdo não chegar, podem sempre testar os mini-jogos e diversos mods produzidos pela comunidade no modo Arcade. Sem dúvida, estamos perante um dos melhores RTS dos últimos anos.

Por: Rui Parreira

Conteúdo: BGamer

StarCraft II: Legacy of the Void

Lançamento: 10 de Novembro de 2015

Pontuação GameOver

Geral 85
Gráficos
 86
Som
 85
Jogabilidade
 90
Longevidade
 86

Pontuação Utilizadores

80
13 votos
*A pontuação geral não é a média das restantes.

Relacionados

Sugerimos também

Comentários