Críticas

Battlefield Hardline - O veredito final do GameOver

26.Mar.2015 15:41

Os confrontos de Battlefield transferiram-se para as ruas, entre polícias e ladrões. Conseguirão estes assaltos em larga escala manter a essência da série?

Trocando os conflitos militares por uma guerra urbana, tipicamente de polícias e ladrões, Battlefield Hardline apresenta-nos um spin off da série em grande forma. Produzido pela Visceral Games, que tem no currículo a série Dead Space e Dante’s Inferno, o estúdio procurou oferecer a mesma escala da experiência online dos jogos da DICE, numa realidade de assaltos a bancos e camiões blindados de valores. Ao mesmo tempo, pegou nesta temática e construiu uma campanha a solo repleta de clichés típicos de séries televisivas como Miami Vice

Guerra contra o narcotráfico

E é exatamente a cidade norte-americana de Miami o palco da trama narrativa. Os jogadores encarnam o recém-promovido a detetive de narcóticos Nick Mendoza, que ao investigar uma nova droga no mercado tropeça numa gigantesca rede que envolve agentes corruptos e grandes cartéis orientais. Existem reviravoltas interessantes na narrativa que oferecem ao jogador a oportunidade de transpor ambos os lados da lei. De destacar as personagens, que embora tenham potencial carismático não foram devidamente exploradas nesta trama. Ainda assim, um bom desempenho para os atores, alguns deles caras rapidamente conhecidas como Benito Martinez e Adam Harrington.

Para este título, e sendo o jogador um agente policial, o estúdio decidiu introduzir mecânicas para abordagens não letais. Entre a possibilidade de se infiltrar, sem ser notado, nos locais das missões, com rotas múltiplas, é possível desarmar os bandidos. Para tal podem dar o comando de “Alto” e obriga-los a renderem-se com a arma apontada a si para os algemar. Um dos gadgets do polícia é um scanner que permite detetar pistas no cenário ou marcar os inimigos num local para não lhes perder o rastro.

 

De forma a incentivar os jogadores a procurarem todos os itens colecionáveis durante as missões, o estúdio optou por transformá-los em pistas para casos paralelos. Embora não influenciem o decurso da campanha, encontrar as referidas pistas e completar o caso, garante o acesso a novas armas e acessórios. A qualquer momento podem mudar de armas e gadgets, entre eles as novas ziplines, que permite deslocações rápidas entre locais.

Um aspeto muito negativo da campanha é a inteligência artificial medíocre dos inimigos, e sobretudo dos companheiros da equipa. Os adversários estão confinados a uma visão em cone, e raramente detetam os jogadores mesmo que façam barulho na proximidade. Já os companheiros são completamente ignorados pelos inimigos, tornando-se ridículo quando se tenta passar despercebido.

Assalto de larga escala

Ainda que a presença de uma narrativa seja interessante, os fãs da série sabem que a mesma é secundária, e até inexistente se olharmos para os primeiros jogos Battlefield. A série é uma das principais forças motrizes das batalhas online do mercado, e Hardline não é exceção. As batalhas online (com suporte para 64 jogadores divididos pelas duas equipas) são apresentadas numa gigantesca escala, focando-se em assaltos planeados.

Ver página seguinte »

Battlefield Hardline

Lançamento: 17 de Março de 2015

Também disponível para:

Pontuação GameOver

Geral 84
Gráficos
 86
Som
 87
Jogabilidade
 90
Longevidade
 92

Pontuação Utilizadores

63
35 votos
*A pontuação geral não é a média das restantes.

Relacionados

Vídeos

play

Battlefield Hardline

17.Nov.2014

Duração: 00:07:47

Sugerimos também

Comentários